Mercado

“Car Machine”: coloque a moeda e escolha seu seminovo

Start-up norte-americana de seminovos cria primeira “máquina de carros” totalmente automatizada: aula de eficiência e criatividade

Start-up norte-americana de seminovos cria primeira “máquina de carros” totalmente automatizada: aula de eficiência e criatividade

Se o leitor ainda acha que automóvel é investimento, a Carvana, start-up norte-americana que pretende revolucionar o segmento de seminovos com um modelo automatizado de vendas, acaba de apresentar uma solução que vai fazê-lo rever seus conceitos. Trata-se de uma torre com cinco andares e capacidade para 20 veículos semelhante às máquinas de refrigerante. A primeira “máquina de carros” (“Car Vending Machine”) do mundo funciona como a de refrescos e tem suas próprias moedas, em tamanho família, para o cliente retirar seu usado.

Na verdade, esta é uma forma lúdica de a empresa apresentar seus produtos e serviços, porque o comprador seleciona seu modelo e faz o pagamento exclusivamente pela internet. São mais  de 1.500 veículos em um estoque virtual, que pode ser consultado on-line (www.carvana.com). Para os desconfiados, vai aí uma informação: os veículos comercializados pela empresa nunca bateram e passam por uma inspeção que certifica 150 itens. De qualquer forma, é possível fazer um tour por cada um dos automóveis à venda, em alta resolução.

Por enquanto, a empresa opera em cinco grandes centros norte-americanos, Atlanta (Georgia), Dallas (Texas), Charlotte (Carolina do Norte), Birmingham (Alabama) e Nashville (Tennessee), onde fica a “máquina de carros”. Para estimular os clientes de outras cidades a vivenciarem essa nova experiência, a Carvana dá US$ 200 de bonificação para passagem aérea, mas é possível receber o veículo na porta de casa, como se fosse uma encomenda da Americanas.com. O financiamento também é expresso é sai em, no máximo, 20 minutos.

O mais incrível é que, mesmo com tanto conforto, a Carvana promete para seus clientes uma economia média de US$ 490, em relação ao preço de tabela dos seminovos de seu portfólio. E não para por aí: o cliente tem até sete dias para testar e, se quiser, trocar seu usado por outro. Veja o vídeo!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


Vídeos

Mais Lidas

Topo