Legislação

Placa Mercosul não terá chip por enquanto

Depois de contínuos adiamentos e enquanto vizinhos como a Argentina já adotam a novidade, finalmente o Brasil começa a emplacar seus carros zero quilômetro com o modelo padrão de placa do Mercosul (Mercado Econômico Comum do Cone Sul), que não só facilita a circulação além das fronteiras como inibe roubos e clonagem. O Detran do Rio de Janeiro é o primeiro a cumprir a determinação e a previsão é de que até o fim do ano os demais departamentos de trânsito do país também sigam a norma.

Só que uma resolução do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) publicada no começo dessa semana já alterou a regulamentação original. Pelo projeto, as placas viriam acompanhadas de um chip eletrônico capaz de permitir o rastreamento em casos de roubo ou mesmo facilitar a fiscalização mas, como o Sistema de Identificação Automática de Veículos (Siniav) ainda não foi implantado, não há como contar com o dispositivo por enquanto.

Assim, a Resolução 741 prevê que, até que o Siniav esteja em operação, a fiscalização remota será feita apenas pelo QR Code presente na placa. O que ajuda, mas não é tão eficiente quanto o chip. Infelizmente o avanço segue a passos de tartaruga, e não na velocidade exigida pelo aumento da frota de veículos…

placaMercosul

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


Vídeos

Mais Lidas

Topo